sábado, 30 de abril de 2011

I will always return


Uma das músicas do filme ''Spirit, o corcel Indomável'' na versão original, em inglês.
Vale a pena ouvir. É uma das minhas preferidas!

terça-feira, 26 de abril de 2011

Zona de exclusão de Chernobyl tem cavalos selvagens

Espécie rara foi introduzida na região após desastre nuclear.
Sem presença humana, animais vivem soltos nos campos abandonados.


Quem vai à a zona de acesso restrito em torno da usina de Chernobyl, no norte de Ucrânia, além de visitar o reator onde começou o desastre nuclear e a cidade fantasma de Pripyat, pode conhecer uma atração adicional: os cavalos selvagens que andam em bando pelos campos abandonados.

São animais da espécie Przewalski (Equus ferus przewalskii), que já esteve extinta na natureza no passado, mas foi reintroduzida à vida selvagem e tem uma população crescente na Ucrânia e em países da Ásia.

Originalmente, o cavalo Przewalski vivia no oeste da Mongólia, norte da China e leste do Cazaquistão. A última vez que a espécie foi observada na natureza, antes de ser dada como extinta, foi em 1969.

Os animais que hoje existem soltos são fruto de reintrodução feita pelo homem. Todos os cavalos Przewalski que vivos atualmente descendem de 12 animais que estavam em cativeiro, segundo informações da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN, na sigla em inglês).

A zona de exclusão de Chernobyl, uma área de acesso controlado de 30 km de raio, tem outros animais, como castores, veados, gaviões e águias. A caça é proibida, mas segue ocorrendo clandestinamente, segundo relatos de moradores locais. Apesar de os animais serem frequentamente avistados na região, há cientistas que contestam que a área seja um “santuário”, já que a radioatividade segue afetando a natureza ali, restringindo a variedade de espécies
.

domingo, 24 de abril de 2011

Boa Páscoa!

Eu desejo a todos uma Páscoa feliz!
Os cavalos também lhe desejam...




sexta-feira, 22 de abril de 2011

Salto de Obstáculos


A prova de saltos de obstáculos é uma competição em que tanto o cavalo como o cavaleiro são avaliados, segundo certas regras durante um percurso de saltos.
  • História

Desde há 3000 anos que se monta a cavalo, mas saltar a cavalo é um conceito relativamente recente. Os saltos de obstáculo surgiram com os caçadores de raposas ingleses, que montados nos seus cavalos, saltavam muitas sebes e cercas que dividiam os campos. Só a partir da segunda metade do séc. XVIII é que se começou a dar atenção aos saltos a cavalo, e esta disciplina equestre evoluiu a muito custo, tendo como grande idealista o Conde Lucas de Albuquerque Lourenço, espanhol nascido na Inglaterra, e sem dúvidas o cavaleiro que ficará marcado na vida de todos os atletas que o desporto seguem.

  • Regras

Estas provas têm o objectivo de demonstrar algumas qualidades do cavalo, como: força, potência, obediência, velocidade, respeito pelo obstáculo. O cavaleiro é avaliado pela sua equitação.
O vencedor da prova é o concorrente que tiver menos penalizações (pontos) e fizer o percurso mais rápido, o que somar mais pontos ou então aquele que mais se aproximar do tempo ideal, conforme o tipo de prova.
Existem vários tipos de provas dentro dos saltos de obstáculos, como:

As provas sem cronómetro, podem ser de tempo ideal, na qual a pista é medida e da-se um tempo para concluir o percursos quem mais se aproximar desse tempo com menor penalização ganha a prova.

Com cronómetro, em que a velocidade é determinante para o resultado das provas.

As provas com barragens, em que os conjuntos que no primeiro percurso tiveram os mesmos pontos, desempatam, num percurso reduzido, com base nas penalizações e no tempo.

As provas de potência, um máximo de quatro barragens, onde a altura dos obstáculos é sucessivamente aumentada.

  • Tabela de Faltas

Derrube - 4 pontos
1ª Desobediência - 4 pontos
2ª Desobediência - eliminação
Queda do cavalo ou cavaleiro - eliminação
Erro no percurso - eliminação
Tempo excedido numa prova cronometrada - 1 ponto por segundo
Eliminado o cavaleiro que não tiver adequadamente uniformizado (capacete, calças brancas ou bege, bota preta , camisa com gola branca, e casaca, que nem sempre é obrigatória)
Refugo do cavalo perante o obstáculo - 4 pontos
2 refugos - Eliminação

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Como são os cavalos em todo o mundo?

Estive a pesquisar pela Internet e encontrei um site onde consegui ter acesso como são os cavalos em todo o mundo. Este chama-se ''The Equinest 100% Horse Crap''.
  • Afeganistão 

Os cavalos são ainda muito utilizados como animais de trabalho no Afeganistão, predominantemente para o transporte. Porque eles são tão amplamente utilizado e adaptáveis ​​que eles são uma fonte de orgulho para seus proprietários. Muitas dessas imagens mostram tanto sobre a vida na cultura afegã como fazem cerca de horsemanship. A maioria das imagens mostram a gordura saudável, procurando cavalos que são claramente uma fonte de orgulho (bem como do trabalho) aos seus proprietários.

Cavalo em pashto (afegão) é aas Cavalo em dari (persa) é

Horses in AfghanistanHorses in Afghanistan
Horses in Afghanistan
Horses in Afghanistan
Horses in Afghanistan
Horses in AfghanistanHorses in Afghanistan

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Raças (Andaluz)

O Andaluz (altura: 152 a 158cm) é o orgulho dos criadores espanhóis e, no seu país de origem, só ele é considerado ''Pura Raz Española''. Três mosteiros da Ordem dos Cartuxos, localizados na Espanha do século XV, constituem o seu berço. Os monges cartuxos levavam a pureza da raça tão a peito que chegavam a ameaçar com a excomunhão os católicos cujos processos de criação se afastassem do padrão nacional.
É graças aos monges de Jerez, em especial, que se deve a sobrevivência de alguns espécimes desta raça pura no reinado de Felipe III, que ordenara o seu cruzamento com sangue nórdico.

Nos séculos XVI e XVII, o Andaluz foi usado como padreador quase todas as raças equinas da Europa. As éguas e os garanhões das coudelarias reais de Córdova, de Sevilha e de Jerez contribuíram para a criação do Puro-Sangue Inglês, assim como do Napolitano, do Kladrub, do Frederiksborg e do Lippizzaner. Fernando Cortez conquistou parte do Novo Mundo com a ajuda de cavalos Espanhóis, que se tornaram os antepassados do Appaloosa, do Pinto, do Quarter e de muitas outras raças.

Hoje em dia, o Andaluz é criado na região de Jerez de la Frontera. Este animal, de um grande sensibilidade, é extremamente simpático mas fogoso, e dotado de bom carácter, perseverança e humildade.

Cumprimentos,

Atleta do hipismo, cavalo Samba tem spa com "barbeiro" e massagem

Samba é o cavalo mais experiente de Luiza e está com a amazona desde os 5 anos  Foto: Eládio Machado/Terra


Cavalo da amazona Luiza Almeida, Samba tem tratamento de rei, com direito a massagem, exercícios na esteira e até mesmo barbeiro. Foto: Eládio Machado/Terra 

O verdadeiro atleta das provas de hipismo é mesmo o cavalo. A amazona ou o cavaleiro que monta o animal passa a ser mero coadjuvante quando o assunto é a preparação para provas olímpicas, mundiais ou até mesmo nacionais. Prova disso é o tratamento que tem o cavalo Samba, da amazona brasileira Luiza Almeida, a mais jovem atleta a participar de uma Olimpíada. Em Pequim 2008, ela competiu com apenas 16 anos de idade. Além disso, Luiza é também a primeira atleta sul-americana a disputar uma final de Copa do Mundo entre os 15 melhores do mundo.

"O interessante do hipismo é isso. O cavalo e a amazona tornam-se um coisa só, trabalham juntos e um depende do outro. Mas o atleta mesmo é o cavalo. Nós fazemos musculação e condicionamento físico, mas a preparação do cavalo é muito mais importante e muito mais detalhada. Eles até fazem exercício na esteira", afirmou Luiza Almeida.

O fato é que os animais da Sociedade Hípica Paulista, no bairro do Brooklin, em São Paulo, passam o dia em uma verdadeira mordomia. O local em que vivem se torna um spa e os animais têm direito a massagem, bolsa de gelo após os exercícios, banho de sol, barbeiro, escovação, limpeza do casco e inúmeras outras regalias que nem mesmo os mais luxuosos apartamentos da zona sul de São Paulo têm.

"Ele tem trato diário, com direito a tudo. Tiramos o pó da serragem, fazemos a orelha, a barba, fazemos trança na crina, no rabo. É um verdadeiro spa, principalmente quando os cavalos são das provas de adestramento, já que a estética conta muito. Às vezes dão muito trabalho, porque tem muita coisa para fazer. Para eles é como se fosse um hotel, é como se uma pessoa estivesse no melhor hotel da cidade, mas isso é porque eles são considerados atletas", afirmou o tratador Genoílson Oliveira, conhecido como Baianinho, que cuida do cavalo Samba, e trabalha na Hípica Paulista.

O tratador é sempre uma pessoa de confiança do cavaleiro. Baianinho cuida tanto do cavalo Samba quanto de Pastor, adquirido por Luiza no fim do ano passado. Samba é um animal mais experiente e participa das principais provas com a brasileira. Já Pastor está sendo preparado para grandes competições e deve ser montado por Luiza nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara 2011.


"Ela (Luiza) chega, monta, desce e vai embora. Ela confia muito na gente, porque sabe que cuidamos bem dos cavalos. Ela não fica conferindo nosso trabalho, porque sabe o que temos que fazer e fazemos bem. Cuidamos dos cavalos com muito carinho", afirmou o tratador.

Para manter um cavalo na Hípica Paulista, uma das mais caras e tradicionais do Brasil, é preciso desembolsar nada menos que R$ 1,3 mil, que inclui cocheira, tratador, ração e todas as já conhecidas regalias dos animais. Mas para tornar o hipismo - um dos mais caros desportos do País -, uma modalidade mais acessível, algumas escolas disponibilizam aulas de montaria a partir de R$ 150 mensais. Quanto mais "profissional" você se torna, mais caro ficam as aulas, como normalmente acontece com desportos de alto rendimento.

Para isso, as escolas da Hípica Paulista disponibilizam os cavalos para ingressar no desporto, mas obrigam os alunos a comprarem o material de segurança. Porém, se o aluno cumprir todas as etapas e ainda desejar evoluir é preciso sair da escola. Então é o momento de contratar um professor particular e comprar um cavalo, o que não é nada barato. Para se ter uma ideia, segundo Luiza Almeida, o cavalo Samba, experiente e olímpico, deve custar em torno de US$ 300 mil (cerca de R$ 480 mil). No entanto, a amazona lembra que no ano passado, um dos melhores animais do planeta foi vendido por nada menos que 14 milhões de euros (cerca de R$ 32 milhões).

São Paulo

domingo, 17 de abril de 2011

O que eles transmitem?



Dentro do seu coração está a sua voz.
Porque o cavalo é uma criatura muito especial e também brilha aos nossos olhos, assim como nos faz sentir confiantes e com vontade de voltar a tentar o que não conseguimos fazer. Ele, pode não falar com a boca mas com os seus olhos e também o seu coração. Para mim os cavalos são únicos, mas também são os únicos capazes de me pôr de pé. O seu galope é suave, mágico e maravilhoso. Montar a cavalo era como se voa-se pelo céu. E tenho a certeza que quando falo com um cavalo estou a falar com Deus.

Atenção: Apenas retirado da Internet.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Por que é que se coloca ferradura nas patas dos cavalos ?



O cavalo pisa sobre a extremidade de um único dedo, protegido por um casco, que é uma unha córnea. Na Antiguidade, os cavalos não usavam ferraduras e os cascos se desgastavam depressa, por isso, eles não trabalhavam por muito tempo.
Por volta do século X, no Ocidente, descobriram a ferradura e passaram a colocá-las nesses animais. Os cravos da ferradura são fixados na parte morta do casco e isso ajuda a não "gastar" o casco do cavalo.
Os dentes são o principal meio para se determinar, com segurança, a idade aproximada do cavalo. Os dentes vão ficando mais alongados com o passar dos anos.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Raças (Anglo-Árabe)

Esta raça nobre (altura: 158 a 160cm) resulta do cruzamento entre o Puro-Sanugue Inglês e o Puro-Sangue Árabe, em que a progenitora podia pertencer a uma destas raças, contanto que 25% de sangue Árabe ficasse garantido. Há mais de 100 anos que o Sul de França se faz a criação de Anglo-Árabe. Tornaram-se particularmente célebres, por exemplo, os garanhões introduzidos em Trakehnen, o Nana Sahib (nascido 1900), e em Oldenburg, o Inshallah (nascido em 1968).

Além disso, existem na Hungria (Gidran) e na Polónia (Malopolska) criações de Anglos-Árabes, de onde saiu, por exemplo, o famoso Ramses (nascido em 1937).

O Anglo-Árabe combina as qualidades positivas de ambas as raças e tornou-se nun cavalo de corrida e de desporto de óptimo desempenho que, além de uma excelente aptidão para o galope, demonstra ainda um enorme talento para o salto. Contudo, devido ao seu temperamento apaixonado, só pode ser montado por um cavaleiro experiente.

Cores: Tordilho, Castanho, Alazão
Usos: Sela, Desportos hípicos


domingo, 10 de abril de 2011

Cavalgar




No silêncio da noite naveguei
No dorso das lembranças cavalguei
Deixando-me levar pelo trotar
Do meu cavalo, sob a luz do luar.

Pelos prados cavalgava na matina
Feliz, revi meus sonhos de menina
Cabelos esvoaçados pelo vento
Sentia-me livre naquele momento.

Galopando chegava à ribanceira
Sob a sombra da velha catingueira
Desnudando para mim o horizonte
Com a mesma beleza de uma fonte.

Sinto saudades das minhas raízes
Com os suaves tons dos seus matizes
Onde o tempo jamais apagará
Na memória pra sempre ficará.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Equoterapia

Equoterapia, o que é?


A Equoterapia pode ser definida como um método científico aplicado como terapia na Saúde e na Educação, que utiliza o CAVALO, numa abordagem multiprofissional e interdisciplinar, buscando o desenvolvimento e o crescimento bio-psico-social de praticantes que necessitem impulsionar suas potencialidades e minimizar suas deficiências para viverem melhor.

A Equoterapia emprega o cavalo e as técnicas de equitação como agentes e princípios promotores de ganhos físicos, psíquicos e sociais. Esse tipo de actividade terapêutica facilita e exige a participação do cavaleiro, como um todo, contribuindo assim, para o aprimoramento da força muscular, do relaxamento, da conscientização do próprio corpo e o desenvolvimento aperfeiçoado do equilíbrio e da coordenação.

A Equitação Terapêutica/Equoterapia é uma conduta nova que se baseia em um método técnico-científico que utiliza o cavalo como instrumento terapêutico para fins de saúde, educação e lazer para crianças e adultos.
Uma proposta diferente, actual e eficiente, de tratamento para muitas disfunções físicas e mentais, proporcionando aos participantes perceberem suas potencialidades e minimizarem suas deficiências.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Possível

Uma adolescente empreendedora alemã se recusou a desistir de seu sonho, quando os pais dela disseram que ela não poderia ter um cavalo.
Regina Mayer, de 15 anos, pegou na vaca da sua família chamada Luna para se transformar num cavalo.

Vejam o vídeo.

Raças (Saddlebred Americano)

Os rancheiros do Kentucky pretendiam, com esta raça, um cavalo perseverante, leve e, acima de tudo, atraente. Para isso, cruzaram cavalos que fazem o passo trovado canadianos, americanos e ingleses, e mais tarde, Morgans, Narrangansetts e Puros-Sangue. É um cavalo extremamente sensível (altura: 152 a 164 cm), muitas vezes apelidado de ''o cavalo mais belo do mundo'', inteligente e sociável, fogoso, corajoso sem, todavia, deixar de ser humilde, constituindo uma verdadeira atracção em exibições e paradas equestres graças aos seus admiráveis andamentos.
Esta raça divide-se em duas categorias: cavalo three-gaited e cavalo five-gaited. Além dos três andamentos normais, o Saddlebred five-gaited tem facilidade em realizar um andamento mais curto em três tempos (slow gait), assim com um andamento com mais amplitude em quatro tempos (rack).

Para suas exibições, os cavalos three-gaited e five-gaited são submetidos a diversos preparativos: no primeiro, as crinas e a cauda são aparadas; quanto ao segundo, apresenta-se de crinas longas e de cauda elevada (processo conseguido através de uma ''operação estética'' em que é deslocado um músculo e colocada a cauda num dispositivo especial de modelação durante meses). Os andamentos artísticos são conseguidos com a aplicação de ferraduras altas e de pesos. Eis uma forma de tratamento que, nos Estados Unidos, é sinónimo de requinte e de avultados prémios pecuniários, mas que, na Europa, é considerado um exemplo de maus-tratos infligidos a animais.



Cumprimentos,