sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Crueldade extrema para os cavalos do Mercado San Bernabe (imagens assustadoras)



O Mercado de San Bernabe em Almoluya de Juárez, no México é um mercado ilegal, onde cavalos, burros e mulas são abatidos por não terem sido vendidos em leilões ou por serem cavalos de corrida aposentados. A maioria deles vem da América e Canadá, e passam várias horas em transportes horríveis, sem água ou comida, às vezes sem ter qualquer oportunidade de respirar. Muitos deles morrem antes de chegar ao destino. Os antigos donos acreditam que venderam os seus animais para um lugar bom, mas que na verdade é um pesadelo para estes animais.


 Quanto mais tempo os animais vivem, mas a carne vale, para que façam de tudo para mantê-los vivos mesmo sofrendo imenso de dores que nem aguentam em pé. 
O governo tem o poder de fiscalizar e acabar com isto, mas estão a agir lentamente, embora que o mercado seja ilegal e que já exista há mais de 60 anos!



segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Artista plástico cria esculturas de animais a partir de materiais reclicláveis


Pneus velhos, parafusos, correntes de motos e os mais variados objetos são utilizados nas esculturas de bois, aves e cavalos.
Aqui fica o vídeo

Artista cria escultura de cavalo com 18 mil teclas de computador


Estátua remete ao famoso Cavalo de Tróia.
Artista critica a obsessão das pessoas pelo mundo tecnológico.


Um artista alemão criou uma escultura de cavalo com mais de 18 mil botões de teclado reciclados, além de cabos de computador e resina reciclada. O modelo representa o famoso “Cavalo de Tróia”, usado pelo gregos para invadir a cidade Tróia.

Escultura foi montada com 18 mil teclas de computador recicladas.
De acordo com o jornal “Daily Mail”, Babis Pangiotidis, autor da obra, diz que a peça é uma "forma de criticar a maneira como a web infectou nossas vidas", e "condenar nossa obsessão com o mundo tecnológico", já que o termo também é utilizado para designar uma espécie de vírus de computador, que finge ser um programa mas, na verdade, rouba os dados do usuário.

No site do artista há outras fotos da obra, além de mais informações (em alemão).


Artista afirma que obra critica a maneira como a web infectou nossas vidas.


sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Raças (Pónei de Sela Alemão)

Este equino (altura: 138 a 148 cm) deve a sua existência ao contributo de inúmeras raças de póneis. Em comparação com a Inglaterra e os Estados Unidos, países onde os póneis de sela são desde há muito apreciados, só há praticamente 30 anos é que estes espécimes começaram a ser criados na Europa continental. Para combinar a estatura e as boas qualidades características dos póneis com um exterior mais nobre e mais elegante e simultaneamente obter um cavalo de desporto versátil para os jovens, procedeu-se ao cruzamento de póneis com cavalos grandes.

Hoje, existe realmente um objetivo de criar uma raça uniforme, mas cada região opta por uma das ''misturas'' possíveis, de forma que o aspeto exterior permanece ainda muito heterogéneo. De entre as raças antigas e robustas das quais descende a maioria dos Póneis de Sela Alemão constam os póneis Galês, New Forest ou Connemara (Ver raça). Para fins de melhoramento da raça, são utilizados sobretudo os Puros-Sangues Árabes e Anglo-Árabes (Ver raça) e, esporadicamente, os sangues-quentes (como, por exemplo, o Trakehner).

As raças não permitidas são o Haflinger, o Islandês, o Fjord e o pónei Shetland. O pónei de Sela Alemão é uma excelente montada para crianças e ideal como cavalo de desporto e de torneio equestre para jovens. É um animal despretensioso, de caráter bondoso, prestável, trabalhador, corajoso e de temperamento equilibrado. Este ''nobre pónei'' presta-se igualmente à modalidade de saltos e à dressage ou ao desporto com atrelados e possui um passo longo, amplo, como o dos cavalos grandes. Na Alemanha, tornou-se, entretanto, na sua segunda raça de póneis preferida, a seguir ao Haflinger. 

Imagem do Mês

Abate de cavalos atinge valor recorde em Espanha

(São abatidos 165 cavalos por dia em Espanha)

A crise económica está a levar a um aumento significativo do abate de cavalos em Espanha com uma média de cinco mil por dia nos primeiros quatro meses do ano, tendo-se registado em 2011 quase 49 mil mortes.

Dados do Ministério da Agricultura, Alimentação e Ambiente espanhol referem que em 2011 se registaram 48821 abates de cavalos, mais 60% que no ano anterior, ou uma média de 133 por dia.

Os elevados custos de manutenção dos cavalos, que podem ascender a milhares de euros por mês, estão a levar muitas famílias a abandoná-los numa altura em que o mercado de compradores se reduziu significativamente.

Nos primeiros quatro meses deste ano, a tendência manteve-se com um crescimento de 31,07% no número de abates face a igual período de 2011.
Mensalmente, são sacrificados em Espanha cerca de cinco mil cavalos, ou 165 por dia, segundo os dados mais recentes.

Alguns centros de abate estão a receber tantos pedidos que acumulam listas de espera de vários meses.
Entre os abatidos, estão cavalos jovens de Pura Raça Espanhola, incluindo alguns com registos em livros genealógicos.
O consumo de carne de cavalo em Espanha é escasso, pelo que os animais abatidos se destinam a produção de produtos para mascotes ou exportados para países onde há maior consumo, como França, Itália, Bélgica e Grécia.
Em muitos casos os animais são simplesmente abandonados, com as autoridades em várias regiões a documentarem um crescimento de casos de cavalos encontrados a vaguear pelos campos.