segunda-feira, 24 de junho de 2013

Como são os cavalos em todo o mundo?


  • Botswana

É óbvio a partir das imagens que a vida não é fácil para todos os cavalos em Botswana. Eles são animais selvagens que estão sujeitos a serem atacados por predadores.


No entanto, existe uma comunidade dedicada à equitação chamada Horse Society Botswana. Muitos dos cavalos locais são usados ​​para safaris montados para atração turística durante o dia e muitas vezes para transporte.

Cavalo em tswana é Pitse



Fonte de Pesquisa

Emergência veterinária

O proprietário do cavalo será confrontado, mais cedo ou mais tarde, com as mais diversas situações de emergência, normalmente feridas. As causas devem-se geralmente a determinados comportamentos do
cavalo. Um deles tem a ver com o seu acentuado instinto de fuga; outro está relacionado com o sistema de domínio hierárquico entre os cavalos. Além das feridas, também as cólicas agudas, a claudicação, as doenças de toda a ordem ou ainda os partos podem tornar-se casos de emergência para o proprietário, que deve agir imediatamente.

Quanto às feridas em hemorragia, não há dúvidas, mas as cólicas, as doenças febris ou as lesões internas nem sempre são fáceis de detetar. Para evitar o pânico nos casos mais urgentes, deve-se estar preparado de antemão para enfrentar esse tio de situações: na cavalariça, os contactos telefónicos mais importantes (do veterinário responsável, do serviço de urgência veterinária, da clínica veterinária mais próxima, de ajudantes para os tratamentos, de serviços de transporte de animais) devem estar junto do telefone.

A primeira coisa a fazer, em caso de emergência, é manter a calma. Uma atitude calma e refletida influencia positivamente outras pessoas que estejam também presentes e que tenham menos preparação para lidar com estas situações, mas, acima de tudo, é positivo para o cavalo. Caso contrário, se o nervosismo prevalecer pode transformar o mais calmo dos animais num perigo potencial para si e para os outros.

Levar o cavalo para um local seguro facilita o trabalho e protege o animal de novas lesões. Delegar funções, como mandar alguém chamar o veterinário, enquanto outra pessoa segura no cavalo ou vai buscar a caixa dos primeiros-socorros, torna a ajuda mais efetiva. Transmitir ao telefone as primeiras impressões ao veterinário ajuda-o a avaliar a gravidade da situação.
Atenção: NUNCA ADMINISTRAR MEDICAMENTOS!


Importante: Uma caixa de primeiros-socorros para cavalos contém: ligaduras em quantidade suficiente e de boa qualidade, desinfetante, termómetro, pinça, tesoura grande e pequena com e sem pontas, luvas de borracha, um recipiente com água, um bloco de apontamentos e uma caneta, uma lanterna pequena (com pilhas). Também não é dispendioso adquirir, para o veículo de transporte, um estojo de primeiros-socorros mais pequeno para eventual uso durante o transporte dos animais, com ligaduras, proteções para transporte, cabeção e corda.

domingo, 9 de junho de 2013

Raças (Puro Sangue Inglês)


A origem desta nobre raça está ligada à paixão dos Ingleses pelas corridas e pelas apostas e que levou à criação de uma nova categoria de cavalos no século XVIII. Enquanto, no início, apenas os cavalos autóctones competiam entre si, as éguas autóctones mais rápidas foram acasaladas com garanhões orientais importados. O resultado foi cavalos maiores, elegantes e mais rápidos. Contudo, não existia uma raça uniforme.

Só meio século mais tarde é que os progenitores dos Puros-Sangue Ingleses surgiram no país: os três garanhões lendários Darley Arabian, Byerley Turk e Godolphin Arabian. Através do acasalamento com 50 éguas, estes três  garanhões constituíram a base da raça, passando a ser designados por ''garanhões fundadores''. São os antepassados de 80% dos Puros-sangue que existem atualmente.

A designação ''Puro-Sangue Inglês'' está reservada apenas aos cavalos cuja genealogia materna e paterna remonte ao General Stud Book instituído na Inglaterra em 1793.

O principal critério de seleção na criação desta raça é a rapidez. Só os cavalos que venceram as corridas determinadas oficialmente e sob condições mais exigentes é que são destinados à reprodução. Enquanto o Puro-Sangue Árabe é especialista em resistência, o Puro-Sangue Inglês é especialista em velocidade, conseguindo atingir 70 km/h, e, por isso, é considerado o cavalo mais rápido do mundo.

Ao longo da sua história contribuiu para a melhoria de quase todas as raças cavalares. O centro de criação destes equinos continua a ser a Grã-Bretanha, mas, nos dias de hoje, o Puro-Sangue Inglês é criado em todo o mundo.

Inteligentes, tenazes, perseverantes e corajosos, estes cavalos são, porém, muito temperamentais e sensíveis, e não é qualquer cavaleiro que os mundo.